Eu não confio muito em mim,
Nas minhas capacidades,
Na profundidade das minhas palavras
Se você acha que sou bom, diga,
Que em mim eu não confio.
Me arrumo sem sentir-me bonito,
Entrego no prazo sem certeza de êxito
Beijo sem saber se fui bom,
Se meu corpo tem tesão, sexappel, extravaganza!
Minha falta de crédito pessoal me leva a loucura,
Precipita-me no ódio próprio,
Na dor e no drama.
La Rochefoucauld clama,
Que alguém confie em outrem,
Confie em si. Não confio. Não consigo.
Mas, consigo sim, e posso!
Vou confiar, um pouco mais, em mim.

Anúncios